AMCESPAR
www.amcespar.org.br

04/02/2023 02:53:05
   
 
DENGUE

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Cinco casos suspeitos de dengue foram registrados este ano em Irati pelo setor de Epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde. Apenas um deles foi confirmado e a contaminação ocorreu fora do município. Em 2008, dos 57 casos suspeitos investigados houve confirmação de dois casos, sendo que em um deles a pessoa se contaminou em Irati.

“Os sintomas da dengue se confundem com os da gripe A (H1N1), hantavirose e febre amarela”, alerta a funcionária da Epidemiologia da Secretaria de Saúde, Maria Luiza Massuquetto. Procurar um médico para fazer o diagnóstico correto é a orientação para a pessoa que apresentar alguns desses sintomas: febre, dores nas juntas, no corpo, na cabeça e no fundo dos olhos e, algumas vezes, manchas vermelhas na pele.

A dengue pode matar, e a prevenção é única forma de combater a doença que é transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti infectado com o vírus. Não há transmissão pelo contato direto com o doente ou secreções, nem por meio de fontes de água ou alimentos.

Dia D da Dengue

Sexta-feira, 13 de novembro, foi o Dia D de Combate à Dengue. Este ano, 10 focos do mosquito Aedes aegypti foram registrados no município de Irati – 148 menos que em 2008. Os criadouros foram encontrados nos bairros Floresta, Canisianas, Vila São João, Camacuã, Rio Bonito, Novo Irati, Alto da Glória e Centro.

Para a secretária municipal de Saúde, Deise Daniliszyn, o baixo número de focos confirmados não deve ser motivo para a população descuidar das medidas de prevenção. “Os cuidados devem ser redobrados com a chegada do calor e das chuvas de verão, que propiciam a proliferação do mosquito”, orienta.

Vinte agentes da dengue percorrem continuamente todos os bairros e algumas localidades rurais repassando orientações aos moradores e realizando vistorias em residências, estabelecimentos comerciais e terrenos baldios. Quando há confirmação de foco do Aedes aegypti, o proprietário do imóvel é informado e é providenciada aplicação de larvicida no local e nas proximidades, além de eliminação de recipientes e materiais passíveis de se transformar em criadouros do mosquito.

A eficácia do trabalho de combate à dengue depende da colaboração da população. Para evitar a formação de criadouros do mosquito que transmite a doença basta colocar em prática algumas medidas simples: colocar areia em pratinhos de vasos de plantas; guardar garrafas e recipientes vazios virados para baixo; manter jardins e quintais limpos e livres de qualquer material que possa acumular água da chuva; separar lixo orgânico e lixo reciclável; evitar deixar lixo e entulho em casa, que são focos do mosquito da dengue e também de aranhas e escorpiões.